Estamos muito felizes em saber que a atriz Denise Milfont estréia o seu mais novo espetáculo inédito  “Amor”, nesta 6ª feira  (6 de maio) às 21hrs. No palco do Teatro Poeirinha, a atriz realiza uma performance na qual compartilha com o público o livro de André Sant´Anna. A montagem cumpre curta temporada até o dia 30 de maio. Em cena, a atriz é acompanhada dos músicos Alexandre Fenerich (eletroacústico), Fred Fonseca (baixo), Robert Anthony (guitarra), Yago Franco (flauta), além de músicos convidados.

6_Denise_6001_Foto_Rodrigo_Castro-e1462037909143

O toque niilista e a ironia sobre valores sociais estabelecidos no texto é o que vem marca a escolha do repertório nessa nova etapa da carreira da atriz, que em 2014 fez única apresentação work in progress do espetáculo no “Tempo Festival”, no Espaço Cultural Sérgio Porto, que foi muito bem recebida pelo público.

Acompanhada dos quatro músicos, a atriz mergulha no relato profano de “Amor”, que traz inúmeros personagens, mitos e cenas pop acumulados no imaginário coletivo, num formato que nos remete ao intenso fluxo de notícias do mundo de hoje.

Denise Milfont conheceu a obra de André Sant´Anna em 2014, quando um resumo do texto do autor publicado na lendária revista ‘A Carioca’ foi apresentado à atriz pelo artista Marcos Chaves. Denise fica perplexa e apaixonada pelo  brilhantismo do texto e sua narrativa e o modo no qual o autor expressa, com precisão, a atualidade.

“O texto do André passa tanto pela sensação de angústia abissal que estamos vivendo quanto pelo eterno humor sarcástico no qual ele delineia a história. Parece que o tempo não muda e, ao mesmo tempo, seu formato literário é tão próximo a sequencialidade das notícias que hoje vemos divulgadas nas redes sociais”, conta Denise.

Denise atuou e produziu a montagem “Dorotéia” (1996), de Nelson Rodrigues, dirigida por Hugo Rodas e Irmãos Guimarães. Sucesso de crítica e público, o espetáculo ficou em cartaz por quatro anos consecutivos.

Amor” conta com a produção da Galharufa Produções, do premiado produtor Sérgio Saboya e a iluminação de Manu Neves.

SOBRE A ATRIZ DENISE MILFONT

Denise Milfont começa a sua carreira artística como cantora e atriz em Brasília. No começo dos anos 1980, se forma na Escola de Música de Brasília e no curso de Publicidade e Propaganda, no Centro Educacional Unificado de Brasília – CEUB. Nesse momento, recebe o convite para a primeira atuação teatral e participa da peça infantil “Passageiros da Estrela”,  de Sérgio Fontana, no Teatro Galpão, com direção de Reinaldo Cotia Braga.

Em seguida, Denise integra como vocalista, o grupo musical Pessoal do Beijo, com um repertório influenciado fortemente por trabalhos e artistas da vanguarda paulistana, como Premeditando o Breque, Rumo, Itamar Assunção, Arrigo Barnabé, etc. Em 1983, é convidada por Oswaldo Montenegro para participar como cantora e atriz no espetáculo “A Dança dos Signos”, que cumpre curta temporada no Teatro Ipanema, Rio de Janeiro, quando se muda em definitivo para a capital carioca.

Em 1984, estreia como atriz em novelas televisivas. Protagoniza a minissérie O Pagador de Promessas (1988), da Rede Globo, dirigida por Tizuka Yamasaki, que consolida a sua carreira como atriz. Ela trabalhou também em outras novelas e séries da emissora, como “Livre para voar” (1984), “Grande Sertão: Veredas” (1985), “Sassaricando” (1987), “Riacho Doce” (1990), entre outras. Denise ainda atuou nos remakes de “Pecado Capital” (1998), “Mulheres de Areia” (1993), “Irmãos Coragem” (1995).

No cinema, participou de filmes como “Césio 137”, dirigido por Roberto Pires, entre outros.

Sua trajetória em produção teatral se inicia com “Dorotéia” (1996), de Nelson Rodrigues. Denise Milfont protagoniza e se encarrega da produção da montagem, dirigida por Hugo Rodas e Irmãos Guimarães. O espetáculo conquista a crítica especializada, que se surpreende pelo fato de ser esta a obra menos apreciada do autor. Sucesso de crítica e público, a montagem fica em cartaz por quatro anos consecutivos.

Em meados dos anos 2000, a carreira de Denise toma um caminho diferente. A atriz se muda para o bairro de Santa Teresa, no Rio, e ingressa “acidentalmente” no mundo das artes visuais ao transformar a sua casa no lugar de hospedagem, conexão de ideias e experiências para artistas, curadores, escritores, arquitetos, jornalistas, etc,  uma comunidade variada nacional e internacional de produtores e trabalhadores da cultura ligados, sobretudo, ao mundo das artes visuais.

A “Casa da Denise”, associada ao Capacete-entretenimento em que é co-fundadora junto ao curador Helmut Batista, é hoje reconhecido como centro de referência pioneiro na América do Sul na iniciativa de residência artística. Com o passar dos anos, ganha importância internacional como espaço doméstico para recepção, mediação e intercâmbio de artistas e agentes interessados em conhecer a cena artística brasileira de forma ampla.

Em 2006, Denise passa a pensar a própria atuação como “composição teatral”, a partir da necessidade de englobar diferentes elementos da sua trajetória artística, incluindo a pesquisa sonora e o trabalho musical com a palavra, que hoje se integram no espetáculo “Amor”, esta nova experimentação. O processo de pesquisa teatral através palavra rítmica, dos sons, das vibrações e da eletroacústica e o fascínio pelos trabalhos literários, ficcionais e experimentais underground, centrais nas suas novas encenações, resultou em montagens como “Valsa nº 6: uma experiência eletroacústica” (2006), de Nelson Rodrigues, apresentada no teatro Oi Futuro, Rio de Janeiro, em parceria com Alexandre Fenerich, que é apresentado a Denise pelo mestre em eletroacústica Rodolfo Caeser.

Agora em 2016, o espetáculo “Amor”, estrelado por Denise, ganha a sua primeira temporada, de 5 a 30 de maio, no Teatro Poeirinha, com a produção da Galharufa Produções. Ao lado da atriz, Alexandre Fenerich e a banda 4zero4, além de outros músicos convidados no decorrer da temporada.




AMOR” – ALGUNS TRECHOS:

 

“Aquelas músicas. Os tons daquela música de tons cheios de combinações de intervalos e todos aqueles shows cheios de jovens e todas aquelas músicas dos Beatles e todas aquelas músicas do Jimi Hendrix lá naquele show cheio de jovens pelados naquela lama e os jovens pulando e fazendo sexo e ingerindo fungos ácidos. Tudo o tempo todo.

O George Harrison lá na televisão. A imagem do Brian Jones lá na televisão e o Brian Jones, lá, com os olhos inchados e aquelas roupas coloridas e o Brian Jones morto, no caixão, liberando carbonos e produzindo dinheiro e todos aqueles índios que viviam cantando e dançando e todos aqueles rios e aquelas florestas cheias de passarinhos devorando todos aqueles insetos.

Aquela rua escura e aquelas pessoas cruzando. Uma rodoviária cheia daquelas pessoas e todas aquelas pessoas. Uma rodoviária lá na Europa e todos aqueles europeus com seus problemas europeus naqueles filmes europeus. Franceses.”

—————————–

“A Terra tem belezas incríveis como o pôr do sol e o rostinho da filha da Grace Kelly e todas aquelas palavras e aquela música do Roberto Carlos que conta a história do cabeludo que foi abandonado pela namorada e acha que qualquer coisa vai fazer com que a namorada se lembre dele.

É bem provável que a namorada do cabeludo nunca se lembre de nada e fique por aí namorando e abandonando cabeludos (…)”

 

—————————–

 

“O mundo com aquele sol nascendo no horizonte. O canto dos pássaros e das cachoeiras. As gaivotas. O sorriso das criancinhas e a felicidade. Música singela. O Cristo oferecendo a outra face. O piloto de carros, no alto daquele pódio, esguichando champanhe nas filhas do príncipe e aquele mar verde cheio de peixinhos prateados e o perfume das flores. Os girassóis da Holanda.”

Ninguém pode perder este espetáculo que está em curta temporada, confira:

Temporada: De 6 a 30 de maio de 2016

Dias: De quinta a domingo

Horário: De quinta a sábado, às 21 horas; Domingos, às 19 horas

Local: Teatro Poeirinha

Site: http://www.teatropoeira.com.br

End: Rua São João Batista, 108 – Botafogo, RJ

Duração do espetáculo: 60 minutos

Tel para informações: (21) 2537-8053

E-mailteatropoeira@teatropoeira.com.br

Classificação etária: 16 anos

Capacidade da sala: 63 lugares

Preço: 50,00 (inteira); 25,00 (meia entrada)

*Estudantes, Professores da Rede Pública do Município do RJ e maiores de 60 anos são beneficiários de desconto de 50%. A venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do beneficiário aos pontos de venda, munido de documento original que comprove condição prevista em lei. É obrigatória a apresentação dos documentos também na entrada do espetáculo.

Funcionamento da Bilheteria: De terça a sábado, das 15h às 21h. Domingo, das 15h às 19h 

Formas de Pagamento: Aceitam dinheiro e todos os cartões de débito.

Acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais em cadeira de rodas.

 

FICHA TÉCNICA – “AMOR

Texto e desenhos gráficos: André Sant`Anna

Concepção e narração: Denise Milfont

Iluminação: Manu Neves

Produção musical: Denise Milfont

Desenho Sonoro, especialização e músicas: Alexandre Fenerich e 4zero4

Técnico de som: Yago Franco

Fotografia: Delfina Rocha

Design Gráfico: Monica Soffiatti

Fotos de divulgação: Rodrigo Castro

Assessoria de Imprensa: Ciranda Comunicação
Mídias Sociais: Rafael Teixeira

Produção Executiva: Nathalia Pinho

Produção: Galharufa Produções