Ei, magnífica chega aqui. Posso invadir, assim? Sem pedir?
Pega o café e coloca Janis pra tocar …

Se aconchegue e se encontre!

Chega um momento que você olha pela janela e vê que tudo mudou, aquela árvore que floreia, as nuvens que rodopiam e os pássaros que flutuam.

Você vira as costas, se olha no espelho, talvez tenha marcas de expressões – Prefiro dizer marcas da vida – das experiências, dos choros, dos risos, pois tudo que sentimos é uma expressão.

Olha no fundo dos teus olhos e nele encontra você, exclusivamente você, sorri e orgulha-se da mulher que se tornou experimentando as dadivas da vida. Com aquele jeans rasgado, aquela camisa velha, um blues no rádio e um xícara na mão.

Senta-se na janela e inspira a suave fragrância dos dias. Pode sentir-se impaciente, indecisa, tranquila ou serena. Seu estado de espírito está em cada pedacinho que você juntou das suas experiências, que hoje lhe torna forte e sábia…

Vem ca mulher – já pensou naquele relacionamento sufocante? Ou aquele fogo que arde e não se vê? Já parou pra pensar que sem eles, você não seria a mulher de amor próprio, e sabe que o que te completa? é a sua certeza de você mesma.
Aprendi nesses relacionamentos que o “ser” é melhor que “estar”…

Estar, é um estado, é passageiro e superficial, mas, ser? …

Aaaaaaahhh, ser, é a essência que floresce e rega a alma.

Um dica: Esqueça aquela frase clichê “Alguém que me complete” e use outra frase clichê

“Alguém que me transborde”

Siiimmmm!!! Que transborde – porra mulher- … Tu é completa, seus princípios te completam, seus atos te completam, teu amor te completa, a vida te completa.

Queira alguém que transborde seus dias, que te traga uma perspectiva nova, que segure tua mão e diga:

– To contigo mulher!

Que respeite suas manias, se você chora em novela, se senta na mesa do bar e bebe mais que ele e que te segure se você cair, se tu dança com suas amigas até o chão, e que de longe te admira te achando sexy e gostosa, que ria das suas meias de bichinho e arranque sua lingerie com os dentes – Que te trate como dama na rua – E puta na cama (forma pejorativa), e que ao se olhar no espelho, você veja na forma mais intrínseca o amor de um homem, que ama uma mulher.

Simplesmente por ser quem es.