Suicídio, distante de saber o real sentido de morrer, mas infelizmente quando se pensa em suicídio impossível pensar no que pode significar que o dicionário traduz, o que os outros pensam, tudo que eu pensei foi:

“como eu irei viver assim? Como irei me levantar? Sozinha eu não consigo e não tenho mais ninguém por mim….”

E tantas outros pensamentos negativos que apesar da força não foi suficiente pra que eu provasse de perto o “sabor” da morte, do suicídio.

 

Eu tive diariamente, por cerca de 9 meses pensamentos suicidas, e quando eu pensava na minha morte, imaginava no funeral e imaginava minha mãe forte e cuidando de tudo pra que eu fosse enterrada e lembrada da pessoa que fui, mas lembrei do frágil coração dela e da saúde debilitada devidos das doenças, lembrei também que ela me criou e passou por cima de todas as adversidades da vida e foi forte, por fim pensei na morte dela a pós a minha, e me mata(va) pensar que eu não só me mataria, mas levaria ela comigo.
 

Não acho que o suicídio seja um ato bem pensado, mas por incrível que pareça eu consegui pensar muito, várias vezes, por vários dias, olhava pra parede e olhava uma corda e já pensava em como fazer, e logo pensava no funeral e na minha mãe automaticamente.
 

Hoje ainda penso em suicídio quando estou muito triste, quando as coisas que me alegram não fazem a mesma função, ou seja, quando de nada adianta levantar meu humor, penso em suicídio, e acredito que não deixarei de pensar nisto.
 

Contudo, hoje tenho mais equilíbrio mental e emocional pra pensar na solução dos meus problemas, da cabo da vida não seria a melhor maneira, porque minha vida está vinculada à muitas outras, e a cada dia que passa a outras mais.

Depoimento por: Sabrina Miranda

#NãoAoSuicídio