Após me apaixonar pela série “The Carrie Diaries” anos atrás, resolvi ler o livro de Candace Bushnell e gostei tanto que já encomendei o segundo volume desta história épica.

O livro se passa na adolescência de Carrie Bradshaw, garota do interior e que sonha com a cidade de Nova York. Tudo acontece anos antes de Sex and the City e somos agraciados por uma história repleta de amor, traição e amizades. Carrie tem 17 anos e está no seu último ano da escola e decide que será o seu ano. O ano em que deixará seu nome marcado na escola Castlebury High e que focará em sua carreira de escritora.

Como todo adolescente, Carrie tem seu grupo de amigos: Walt, Maggie, Mouse e Lali, sua melhor amiga desde sempre. O companheirismo entre eles é notável, sendo dividindo um cigarro ou sendo confidente um do outro.

Logo no primeiro dia de aula, uma fofoca surge entre os alunos: Sebastian Kydd, um cara gato e rico é o novo aluno do colégio e o que ninguém sabe é que Carrie já o conhece e tem uma paixonite pelo garoto. Após o falatório iminente sobre ele, desde suas inimigas até seus amigos próximos, Carrie não agüenta mais ouvir o nome “Sebastian” e o efeito que o mesmo causa, até que o garoto entra em sua sala de aula e repara na menina.

Como de praxe, os alunos do último ano pintam o ano de formatura no celeiro (mais parecido com um scape da escola e o fumódromo não-oficial) e Carrie decide que ela fará isso junto de seus amigos. O que ninguém contava era que Sebastian apareceria para ajudar e, após um incidente, Carrie e o garoto ficam presos no telhado, fazendo com que se aproximem e, para a felicidade da menina, ele a beija.

Na trama, vemos como Carrie se entrega ao amor e faz de tudo para ser feliz, mas sente-se excluída e às vezes pressionada por ser a única de seus amigos que nunca transou, mesmo não estando preparada para isso. Vemos também como ela tenta lidar com os problemas familiares e como a menina é apaixonada por moda, sendo algo muito focado em Sex and the City futuramente.

A garota também começa a notar como sua amizade com Lali está cada vez mais diferente e como sua amiga está cada vez mais próxima de Sebastian. Com o desconforto aumentando, Carrie começa a notar que há algo a mais nessa amizade e acaba descobrindo que estão juntos, e nenhum está arrependido ou sentindo-se culpados.

A traição deixa Carrie muito mal e, para aliviar a tensão – e se vingar- ela começa a escrever sobre seus amigos e o casal no jornal na escola sob um pseudônimo, enviando todas suas histórias para o Seminário de Literatura de NY para tentar uma vaga no curso. Graças às suas histórias, Carrie consegue sua vaga e também fica mais próxima de Donna LaDonna, sua inimiga declarada ( e ex-namorada de Kydd), que acaba passando o contado de uma prima de Nova York.

A futura moradora da cidade grande recebe a visita de uma Lali furiosa dias antes de sua viagem: ela descobriu o texto da menina sobre ela e Sebastian, descontando todo seu nervosismo em Carrie e, para a alegria da garota, ela descobre que o casal se separou: Sebastian estava ficando com a irmã mais nova de Lali. Talvez ele não fosse tão príncipe encantado assim, né?

Finalmente chega o dia da viagem a NY, e quando a garota chega à cidade de seus sonhos, é assaltada. E agora? Carrie não tem dinheiro nem o endereço da escola. E então em um ato de desespero, liga para a prima de LaDonna e a garota é ninguém mais, ninguém menos, do que sua futura companheira de Sex and the City: Samantha Jones.

O segundo volume da série é “O verão na Cidade” conta como Carrie está mudando na cidade e amadurecendo. A série e o livro são diferentes, mas conseguimos ver como Carrie é sonhadora, acredita no amor, ama moda e seus amigos e familiares. O livro te prende do começo ao fim, com uma leitura leve e divertida.