Dia Mundial da Asma – especialistas chamam atenção para esta doença que acomete cerca de 10% da população brasileira, sendo ainda mais prevalente na infância, quando chega a afetar 20% das crianças e adolescentes.

Por ano, são 2 mil mortes de adultos e crianças, e a falta de informação é um dos fatores que mais contribuem para os óbitos por asma, doença respiratória que está entre as mais prevalentes do mundo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que 235 milhões de pessoas sofram de asma.

Os principais sintomas são: falta de ar, chiado no peito, tosse, sensação de aperto no peito e, dependendo da gravidade da doença, limitação para atividades diárias. Os impactos na vida do paciente são muitos, como os custos difíceis de serem avaliados: ansiedade, sofrimento, má qualidade de vida, além de riscos futuros resultantes do absenteísmo escolar.

O objetivo do tratamento é alcançar o controle da doença com o uso de medicamentos preventivos que controlam a inflamação presente nos brônquios e remédios para as crises. Alguns pacientes podem também ter benefício com o uso de imunoterapia (vacinas de alergia) com os alérgenos aos quais está sensibilizado.

“Além do uso de medicamentos, faz parte do tratamento a diminuição do contato com alérgenos e fatores irritantes (fumaça, cheiros fortes e poluentes), vacinação contra a gripe e tratamento da doença do refluxo”, explica o médico alergista e imunologista da Clínica Croce, Dr. Fábio F. Morato Castro.

A campanha de conscientização, organizada anualmente pela Global Initiative Asthma (GINA), recebe o apoio de especialistas de todo o mundo. O tema deste ano é “Ar Melhor, Respiração Melhor”.

Tendo em vista que as alergias respiratórias, como a rinite alérgica, são doenças que podem evoluir para o quadro de asma, alguns cuidados para a melhoria da qualidade do ar são essenciais.

Abaixo, seguem 10 recomendações dos especialista para imunizar o ambiente contra as alergias:  

 

1. É necessário seguir uma rotina de limpeza constante;

2. Use um pano úmido para limpar o pó antes que ele se disperse. Utilize máscara e luvas durante a limpeza;

3. Use um aspirador que tenha um filtro HEPA (High Efficiency Particulate Arrestance). Esse filtro reduz os alérgenos transportados pelo ar, prendendo ácaros e outras partículas, não as liberando novamente no ar;

4. Nunca use um espanador para retirar o pó. Ele apenas o espalha, adicionando mais alérgenos no ambiente;

5. Remova todo o carpete. Caso contrário, use carpetes baixos ao invés de felpudos, pois acumulam menos pó;

6. Lave todas as roupas de cama com água muito quente toda semana. Lave as proteções do colchão e os travesseiros a cada duas semanas;

7. Forre travesseiros e colchões com protetores herméticos de plástico ou vinil que são impermeáveis aos alérgenos. Travesseiros e colchões contêm material fibroso, ambiente ideal para o crescimento dos ácaros;

8. Remova velas do quarto, especialmente as de essências, que podem liberar substâncias irritantes ou prejudiciais;

9. Sempre que for tomar banho abra uma janela para reduzir a umidade. Os ácaros gostam de locais quentes e úmidos.

10. Animais de pelúcia devem ser lavados a cada semana e guardados, de preferência, longe da cama