Sobrepeso e obesidade são problemas que acometem diversas pessoas pelo mundo. A luta para emagrecer, principalmente de forma saudável, não é fácil e requer dedicação e força de vontade dos pacientes. Hoje, a medicina oferece alguns recursos para facilitar essa tarefa, como por exemplo o Balão Intragástrico, porém é necessário que haja orientação e acompanhamento adequados para que o procedimento não seja em vão.
whats
Há alguns anos, os médicos endoscopistas Dra. Silvia Reimão e Dr. Luiz Henrique Mestieri, da clínica EndoHealth, vêm atuando no tratamento da obesidade através do Balão Intragástrico. O procedimento é realizado sem cortes, por endoscopia digestiva. Sua função principal é ocupar parte do estômago, diminuindo a sensação de fome e o volume de alimentos ingeridos. A reeducação alimentar é essencial durante o período em que o paciente está com o balão, pois assim ele consegue perder peso, aprende a ingerir alimentos com mais qualidade nutricional e melhora sua qualidade de vida.

Segundo a Dra. Silvia, a inserção de atividade física na rotina, também é uma grande aliada ao emagrecimento saudável durante o tratamento.

“A maior perda de peso ocorre nos primeiros três meses após a inserção do balão. Nesse período é primordial que o paciente mude seus hábitos alimentares e de vida, para se preparar para uma nova rotina quando o balão for retirado”, explica a médica.

Após a colocação do balão intragástrico uma dieta especial é inserida, iniciando por alimentos líquidos e progredindo aos poucos para os pastosos e semissólidos, até chegar à dieta geral, na qual o paciente come de tudo um pouco, porém com mais qualidade e menos quantidade. Durante os primeiros dias também são utilizadas algumas medicações para reduzir os sintomas de adaptação do organismo.

O balão intragástrico é recomendado para pessoas com sobrepeso e obesidade, podendo ainda ser utilizado como uma preparação para a cirurgia bariátrica, na qual o paciente reduz peso e melhora sua condição clínica, , diminuindo os riscos para o procedimento cirúrgico. O tratamento com o balão intragástrico não é indicado para quem já fez alguma cirurgia no estômago, inclusive a bariátrica. Pacientes que tiveram reganho de peso após a bariátrica podem se beneficiar por tratamentos como o plasma de argônio, também oferecido pelos médicos.

O balão intragástrico pode ser utilizados por adultos e crianças, a partir de 10 anos de idade, desde que o paciente tenha IMC maior que 27 kg/m2 . Seu uso é uma ótima opção para quem pretende, além de emagrecer, mudar seus hábitos alimentares e de vida. “O tratamento deve ser individualizado e bem acompanhado. Oferecemos proximidade com os pacientes e acreditamos que parte do sucesso do tratamento está ligada ao vínculo equipe-paciente, que é composta também por nutricionista, endocrinologista e psicólogo”, esclarece o médico Luiz Henrique Mestieri.

Estudos também apontam que o procedimento atua positivamente na perda de peso e controle da glicemia em pacientes diabéticos. Com o emagrecimento, existem alterações hormonais que melhoram o funcionamento do pâncreas, controlando o diabetes. Há melhora em mais de 70% dos casos, sendo que 40% desses pacientes conseguem suspender toda a medicação. Além do diabetes e perda de peso, o uso do Balão Intragástrico tem se mostrado efetivo no controle da hipertensão, diminuição do colesterol e melhora das dores crônicas, comprovando que seguindo as indicações clínicas e fazendo acompanhamento correto podem-se alcançar resultados muito positivos com problemas relacionados à obesidade.

Dra. Silvia Reimão – Formada em Medicina pela Universidade de São Paulo e especializada em Endoscopia Digestiva Alta, Cirurgia Geral e Endoscopia.
 
Dr. Luiz Henrique Mestieri – Formado em Medicina pela Universidade de São Paulo e especializado em Endoscopia Digestiva Alta.