Com a função de equilibrar as energias de ambientes e pessoas, o Orgonite é um catalisador que tem como principal função transformar energia negativa em positiva (Deadly Orgone Radiation – Positive Orgone Radiation). A fisioterapeuta Ariane Pitrez está produzindo Orgonites e explica que o objeto absorve sentimentos negativos como ganância, inveja e egoísmo da pessoa ou local em que está presente, deixando as pessoas mais leves espiritualmente.

O Orgonite é composto de três elementos essenciais: orgânico – que geralmente é a resina, que tem como função atrair a energia para o orgonite;  metal – como cobre e alumínio, que é responsável por refletir as energias que chegam ao orgonite e o cristal – normalmente de quartzo, cuja função é transmutar a energia ruim em algo positivo dentro do orgonite.

Além de transformar energia negativa em positiva, o Orgonite tem outras funções como: diminui os efeitos da TPM; ajudar na harmonização pessoal; auxiliar a vitalização de alimentos, plantas e da água; curar efeitos de insônia e ansiedade; neutralizar os efeitos negativos da radiação eletromagnética de computadores, celulares, televisão, etc.; purificar a energia de pessoas, ambientes e animais domésticos e proteger da negatividade – mal olhado e inveja. Basta escolher o melhor local para deixa seu Orgonite e logo as mudanças serão notadas.

A criação do orgonite

O psicanalista Wihelm Reich descobriu a energia Orgone (também conhecida como chi ou energia vital) entre as décadas de 30 e 50. Em suas pesquisas, percebeu que poderia classifica-la em dois tipos: um composto por energia negativa (DOR) e outro de energia positiva (POR). Assim desenvolveu um aparelho capaz de acumular a energia orgônica para que ela fosse aproveitada na medicina e na biologia.  Diante da descoberta de Reich, o inventor Karl Wetz criou o primeiro orgonite para transformar energias. Tempos depois, Don e Carrot Croft contribuíram para aperfeiçoar este processo e consolidar a novidade.