Yurgan Barret, responsável pelo Projeto Y Rosa, que reconstrói através de tatuagem, gratuitamente, aréolas de seios de mulheres que enfrentaram o câncer de mama e o jornalista Matheus Rodrigues, do portal G1, que produziu a matéria sobre o trabalho do tatuador, foram homenageados na primeira edição do Jornalismo com Cidadania no Tribunal de Justiça do Rio, nesta terça-feira, 7.

O reconhecimento foi criado pela Diretoria Geral de Comunicação e de Difusão do Conhecimento. O objetivo é apontar a melhor reportagem voltada para temas de cidadania e responsabilidade social, assim como os personagens e instituições nela revelados no Estado do Rio de Janeiro. Ou seja, criar uma espécie de confraria do bem, estimulando e reconhecendo reportagens que abordem projetos sociais e atividades comunitárias de relevância visando o bem-estar da sociedade fluminense.

– Esse trabalho é muito importante, principalmente para as mulheres que passaram por um problema tão grave. Eu não conhecia este rapaz e fiquei impressionado com sua iniciativa de levar o bem a tantas pessoas. E o Matheus merece também os parabéns por ter divulgado o projeto, assim como o G1, que abriu esse espaço. Nada mais justo o TJ fazer essa homenagem. Nossa sociedade precisa de matérias positivas. Infelizmente, hoje vemos muitas matérias negativas e tragédias em jornais e na televisão. Quando vemos um trabalho desses sendo feito e a imprensa o divulgando, temos que aplaudir – disse o Corregedor-Geral da Justiça, desembargador Claudio de Mello Tavares.

O presidente do TJRJ, desembargador Milton Fernandes de Souza, afirmou que a homenagem foi idealizada pelo diretor-geral de Comunicação e de Difusão do Conhecimento, jornalista José Carlos Tedesco:

– Não é um prêmio, mas uma homenagem a pessoas que fazem coisas boas para a sociedade. Ações assim, que fazem bem às pessoas precisam ser ressaltadas. Se mais pessoas seguirem esta conduta e a imprensa divulgar isso, nossa sociedade vai melhorar muito.

Em seguida, Matheus Rodrigues agradeceu a homenagem:

– Como todo bom jornalista, gosto de contar histórias. Quando conheci o projeto, fiquei encantado. A gente precisa muito de matérias boas e positivas, e o G1 incentiva isso.

Yurgan Barret observou que muitas mulheres deixam de buscar a reconstrução da aréola por falta de recursos, por desconhecer a técnica ou por vergonha de abordar o assunto:

– O fato do Matheus ter ido fazer a matéria e o G1 ter apoiado, nos ajudou a impactar mais mulheres e mostrar p quanto nosso trabalho com o Y Rosa é sério. Tivemos muita procura e percebemos que nem todas as mulheres que precisam podem vir a nós, por isso estamos nos organizando para ir até elas também em outros estados. Em outubro, iremos a São Paulo e em breve, Florianópolis.

Estiveram presentes na homenagem também os juízes auxiliares da Presidência, Marcelo Oliveira, e da Corregedoria, Luiz Umpierre de Mello Serra; Mauro Ventura e Maurício Menezes, que antecederam Tedesco na DGCOM; Washington Santos, representando o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio; José Raphael Berrêdo, coordenador do G1; além de familiares dos homenageados.

Informações sobre o Y Rosa e suas próximas edições podem ser obtidas através do Instagram do tatuador @yurganbarret .
CRÉDITO DAS FOTOS: Murillo Mello